Visitando 3 parques pelas ciclovias de São Paulo

Visitando 3 parques pelas ciclovias de São Paulo,

Dicas, Novidades, Videos

2

Mesmo para iniciantes, pedalar pela cidade é fácil mas requer atenção aos detalhes.

Mesmo sem muita experiência no pedal, é possível visitar alguns parques em São Paulo usando apenas as ciclovias da cidade e a sua bike como meio de transporte, veja como fazer.
Boa parte dessas dicas são gerais e servem também para quem não está em SP mas quer aproveitar um dia inteiro de pedal em sua cidade sem passar perrengue.

CHECKLIST NA BIKE
Antes de mais nada, independente se a bike é nova ou usada, você precisa verificar os seguintes itens:

img-3_Parques_pala_Ciclovia_10

Bike revisada com tudo funcionando é muito importante para o sucesso do passeio, pois você pode ficar na mão por um problema pequeno, um ajuste no câmbio por exemplo.

Pressão dos pneus – Muito cheio fica desconfortável, se a calibragem for baixa, a bike não deslancha e pode furar em qualquer buraco ou quina viva.
Câmbios – Devem funcionar bem, passando e reduzindo todas as marchas, se o seu não está assim, esse vídeo explica como regular: https://www.youtube.com/watch?v=VRSygpXPnFA
Freios – Devem ser estar bem ajustados, se forem de atuação nos aros (ferradura, cantilever ou V-brake) as rodas devem estar bem centralizadas e as sapatas no ângulo certo, também temos vários vídeos sobre freios no youtube.com/pedaleria.
Sinalização – O uso de farol e lanterna é recomendado mesmo durante o dia, isso aumenta sua exposição para pedestres e motoristas.

CHECKLIST PESSOAL
Mais importante que a bike é o ciclista, (você). Então, para que você não saia por aí pedalando despreparado, procure levar esses itens para não passar dificuldades:

img-3_Parques_pala_Ciclovia_11

Para evitar transtornos, leve câmara de ar reserva, ferramentas portáteis, celular e documentos, cabe tudo em uma mochila pequena!

img-3_Parques_pala_Ciclovia_01

Hidratação é fundamental, programe as paradas a cada 40 minutos, aproveite para comer alimentos leves como barrinhas de cereais, banana desidratada ou frutas secas.

Vestuário – Capacete e luvas são itens obrigatórios, ninguém está livre de tombos. Coloque o cadarço do tênis para dentro, isso evita que ele enrosque na pedivela ou coroas. Camisa e bermuda de ciclismo não é frescura, é conforto. dá pra pedalar sem mas bermudas grossas podem causar irritações pela fricção.
Mochila – Pedalar com mochila pode ser mais confortável do que ter que levar muita coisa nos bolsos, durante o pedalar tudo pula e bate nos bolsos. Aproveite para levar lanches práticos, que dão energia na hora, como barrinhas de cereal ou castanhas, frutas secas, bananinha, etc.
Documentos – RG ou CNH, leve algum dinheiro ou cartão do banco
Celular – Com app para monitorar as pedaladas e manter um histórico, e também para ligar para alguém caso tenha algum problema no caminho.
Leve sempre – Câmara de ar, bomba portátil, canivete de chaves e cadeado para as paradas.
Planejamento da rota – Por onde pretendo começar, por onde vou passar e em quais pontos vou fazer minhas pausas. Use o Google Maps para saber isso ou faça a rota de carro alguns dias antes.

LIMITES E SEGURANÇA
Sem fones de ouvido, mas se não der pra resistir use apenas em um dos ouvidos. Não pedale além dos seus limites, lembre-se que você tem que encarar a volta pra casa.
Respeite a sinalização, os semáforos e os pedestres. Tá com a bike na rua, então ela é um veículo.

EM SÃO PAULO
Visitamos o Parque Ibirapuera, em seguida o Parque do Povo, e depois o Villa Lobos.

Saindo do bairro da Pedaleria na zona sul de SP, não existe ciclovia, ciclofaixa, nem mesmo ciclorotas internas pelas ruas do bairro, então pedalei cerca de 11Km para chegar no que considero um bom ponto de partida, a Av. Luiz Carlos Berrini, em frente o Morumbi Shopping.
Cheguei no início da ciclovia na Berrini por ruas internas e calmas para ter mais segurança, apesar de ter pedalado um pouco mais, o sentimento de segurança foi muito maior.

img-3_Parques_pala_Ciclovia_03

Na Berrini a ciclovia é bem nova, ela se conecta com outras avenidas importantes que fazem parte da malha cicloviária de São Paulo.

img-3_Parques_pala_Ciclovia_02

Até acessar uma ciclovia, pedale por ruas tranquilas com pouco movimento, evite ruas estreitas e avenidas movimentadas, é mais seguro.

img-3_Parques_pala_Ciclovia_05

Em São Paulo, aos domingos e feriados as ciclovias ganham um reforço, as “ciclofaixas de lazer”. São mais de 80km de vias sinalizadas com funcionários nos principais cruzamentos, placas, cones e delimitações ajudam e protegem os ciclistas.

img-3_Parques_pala_Ciclovia_04

A Faria Lima é um trecho muito importante da ciclovia, tem até bicicletário no Largo da Batata.

Escolhi começar por aqui porque esta é uma ciclovia bem plana, que pode te levar até o Parque Ibirapuera sem muitas subidas e descidas. Mas dependendo do bairro onde você mora, o começo pode ser já em uma subida sinistra (a Av. Sumaré por exemplo).

img-3_Parques_pala_Ciclovia_07

Sem dúvida o trecho mais arborizado é o da Av. Fonseca Rodrigues, reta final para o Parque Villa Lobos.

Uma outra opção, principalmente para quem está iniciando e caso você ainda não se sinta seguro de aguentar todo o trajeto é ir de carro até um dos parques, estacionar e fazer o circuito com bike. Caso a coisa aperte, pelo menos você volta até o carro e termina o caminho até em casa sem botar os bofes pra fora.

Preparamos este mapa para mostrar os caminhos percorridos entre os 3 parques.

img-Mapa_Ciclovias

PAUSAS
Procure fazer suas paradas em pontos onde tem base da polícia, bares, restaurantes e lojas de conveniência, estacionamentos e bicicletários, além de serem mais seguros, você pode aproveitar a infraestrutura local.
Aproveite para tomar uma água de coco, se hidratar e comer as carrinhas ou banana desidratada por exemplo a cada 40 minutos.

img-3_Parques_pala_Ciclovia_09

Outra água de côco no Parque Villa Lobos, e estou pronto para a volta!

Se preferir almoçar, escolha comidas leves para não ter que esperar muito para voltar ao pedal.
Se você gostar dessa aventura e quiser repetir em outros finais de semana, convide seus amigos, junte uma turma, envolva outras pessoas de seu convívio, da sua rua ou do trabalho, vai ser muito bom!

Bom Pedal!

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Sobre o Autor

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Comentários (2)

  1. Daniel Lopes Stocco

    Edu sou seu fã, a acabei passando está admiração para minha filha Laura de 6anos, sou de Sorocaba e não pude ir no encontro do parque Villa lobos, mas em outra oportunidade estarei com minha filha para tirarmos uma foto parabéns pelo trabalho.

    Responder
    • Edu Capivara

      Legal Daniel, conto com vocês na próxima!
      Beijos Laura!
      Tio Edu Capivara

      Responder

Deixe uma resposta