Enfrentando subidas e descidas sem descer da bike

Enfrentando subidas e descidas sem descer da bike,

Dicas, Videos

12

Com técnicas simples, subidas e descidas íngremes não assustam mais!

Muitos ciclistas inexperientes, ainda sem preparo físico, desanimam ao se depararem com subidas íngremes e longas, pedalam enquanto a  as pernas aguentam em seguida descem da bicicleta para empurrar.
Mesmo usando as marchas, esse momento pode ser difícil para quem ainda é novato na bike, mas além de escolher a marcha certa, que deve ser proporcional a inclinação da subida, será preciso conhecer as limitações de cada coroa, pois a grande e a pequena, no caso das pedivelas triplas, não devem rodas com todas as engrenagens da roda traseira.

img-Medo_de_Subidas_Marcha

Escolher a marcha certa ajuda! Quando a subida é curta, embalo ou redução resolvem, mas nas longas será preciso reduzir também nas coroas.

Ao enfrentar subidas longas, procure pedalar sentado, cansa menos, desde que o selim esteja na altura certa para você. Se precisar pedalar em pé, antes de levantar-se aumente faça 1 troca de marcha aumentando o peso da relação, pois quando pedalamos em pé aplicamos mais força aos pedais, e a marcha anterior pode ficar leve para esta situação.
Quem usa a bike na cidade pode se programar com antecedência para escolher caminhos que evitem subidas íngremes, ou explorar a região procurando cortar as subidas indesejadas.

Uma dica bastante conhecida para superar subidas com mais facilidade é o zig-zag, técnica que alterna momentos de força e descanso nos pedais. Funciona assim: Após pedalar alguns metros de subida em linha reta, vire para cruzar a rua para o outro lado, assim você terá alguns metros pra pedalar com menor inclinação, sem aplicar tanta força, é uma espécie de descanso sem aparar a bike!

img-Medo_de_Subidas_Zig_Zag

Nas subidas longas, o zig-zag ajuda, ele alterna momentos de pedal forte e de descanso quando interrompemos a subida fazendo pequenas curvas.

Descidas fortes

Existem também os ciclistas que tem receio de encarar descidas fortes, que passam a sensação perder o controle, embalar demais, virar para frente, etc, e principalmente no MTB, essa situação é bem numerosa!
A pesar da descida aparecer de repente te fazendo para para analisar melhor, não retome a partir dessa parada se estiver com medo, dê a volta e venha de longe, seguro do que irá fazer, principalmente se você utilizar pedais clip.
É preciso baixar ao máximo o centro de gravidade do conjunto ciclista/bike, então não enfrente esta situação sentado no selim, desloque seu corpo para trás do selim, próximo a roda traseira da bike, e com relação aos freios, eles devem ser acionados suavemente e por igual (dianteiro e traseiro), sem dar soquinhos nas manetes, fato que deixa o ciclista ainda mais inseguro.

img-Medo_de_Descidas

Se você parou diante de uma descida forte, recue alguns metros antes de recomeçar, principalmente se utilizar pedais de encaixe. É preciso estar bem posicionado e seguro para enfrentar a descida com tranquilidade.

img-Medo_de_Descidas_Como_Frear

Nas descidas, acione os 2 freios por igual e mantenha pressão constante nas manetes, nada de soquinhos nos freios!

Para enfrentar uma descida íngreme longa, até pegar confiança, desconecte a sapatilha do pedal clip pisando os pedais com o meio dos pés, assim fica mais fácil se livrar da bike se algo der errado.
Durante a descida perigosa, a técnica que te livra do susto ou do tombo é fazer uma pequena curva para direita ou esquerda se houver espaço, assim, como no caso das subidas, você interrompe aquele sentido em linha reta, e o chão fica perto, ao alcance de um dos pés caso seja necessário.

img-Medo_de_Descidas_Pe_no_Chao

Se por algum motive tiver que colocar o pé no chão nas descidas fortes, interrompa a descida fazendo uma curva, nesta posição você alcança o chão bem mais rápido.

Todas essas técnicas podem ser usadas na cidade e no fora de estrada, treine elas em locais seguro, de preferência na presença de amigos, momento certo para desafiar seus limites.

Bom pedal!

Tags: , , , , , ,

Sobre o Autor

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Comentários (12)

    • Edu Capivara

      Valeu Valdecir!
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
      • Adalba Pé de Pano

        Fala Edu tudo bem?

        Essa técnica serve para asfalto também certo? Como passo por uma lombada tranquilo? No último final de semana sofri um acidente, passei na lombada e perdi a frente da bike…rolei metros e todo ralado, joelho com pontos…falta de experiência….ajuda ai man?

        Sábado vc estav na Cantareira não estava?

        abs

        Responder
        • Edu Capivara

          Oi Adalba, para lombadas e buracos saia do selim (posição de jóquei), encolhido em cima dele ou pouco para trás, assim você tem a possibilidade da roda traseira subir passando a lombada, e suas pernas é que darão o “molejo”, flexionando levemente enquanto a roda sobe.
          Eu não estava na Cantareira, me viu lá? Era um sósia!
          Boa recuperação, abraços;
          Edu Capivara

          Responder
  1. Raul de Oliveira Vasconcellos

    Edu, blz !
    Os videos são show e me ajudam a lidar com essas situações com meu filho! Ele tá começando e eu relembrando e vendo os videos seus, temos segundas opiniões e também muitas coisas que a gente não sabia…um abraço !!
    Raul

    Responder
    • Edu Capivara

      Legal Raul, muito bom pedalar com o filhão, qual a idade dele?
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
  2. Gabriel Rodrigues

    Edu, em uma subida qual a forma correta de inclinar a bicicleta lateralmente?
    Ou essa prática não é recomendada?

    Responder
    • Edu Capivara

      Oi Gabriel, não entendi o que quer saber.
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
      • Gabriel Rodrigues

        Edu, estou me referindo a “entortar” ou enclinar a bicicleta para os lados.
        Normalmente isso é usado tanto durante um sprint ou durante subidas.
        Só gostaria de saber se essa prática é aconselhada ou causa desgastes excessivos, essas informações gerais.
        Consegui explicar?
        Abs

        Responder
        • Edu Capivara

          Oi Gabriel, as “entortadas” acontecem automaticamente, se forçar a posição inclinando demais, não é natural, logo, desnecessária.
          Quanto maior a velocidade, mais inclinamos a bike, isso é visto no sprint do ciclismo, faz parte da energia cinética gerada, ao aplicarmos mais força na pedivela, a bike acaba inclinando bastante para aquele lado, é inevitável.
          Abraços;
          Edu Capivara

          Responder
          • Gabriel Rodrigues

            Obrigado Edu, foi bem esclarecedor! :D

          • Edu Capivara

            Valeu Gabriel!
            Abraços;
            Edu Capivara

Deixe uma resposta