Vídeo #4 – Conheça os componentes – Coroas

Vídeo #4 – Conheça os componentes – Coroas,

Curiosidades, Novidades, Videos

14

Coroas de bicicleta. De simples não tem nada.

No início, quando as bicicletas não tinham marchas, as coroas eram simples engrenagens dentadas, mas com a entrada das bikes em competições, houve a necessidade de colocar mais uma coroa, permitindo ao ciclista enfrentar subidas e descidas pedalando. Esta importante mudança aconteceu no Road Bike (ciclismo de estrada), mais tarde, no nascimento do Mountain Bike, os pneus largos e terrenos irregulares necessitaram de maior redução,então foi colocando a terceira coroa, a pequena.
Hoje, com as MTB 27,5” e 29” foi possível reduzir o número de coroas, principalmente na modalidade XC, elas usam 2 e até mesmo 1 coroa.

img-Componentes-Coroas_Comum

Coroa simples, conhecida como “Single”, equipa diversos tipos de bicicletas, urbanas, BMX e fixas.

NARROW WIDE

Lançadas a pouco tempo, as coroas Narrow Wide são usadas sozinhas, e esse tipo de coroa alterna dentes largos e estreitos, como os vãos das correntes, criando um conjunto perfeito para enfrentar trepidações e pisos irregulares, sem a queda acidental da corrente por desengate. Os dentes são 25% mais altos, por isso ela não faz trocas de marchas, sendo usadas nas relações 1×10 e 1×11.

Existem vários tipos de coroas Narrow Wide, a redonda normal, com 4 furos de fixação, a Direct Mount, que é fixada diretamente no centro da pedivela, dispensando os finos braços, conhecidos por “spyder”, e a coroa Narrow Wide oval, a mais recente.

img-Componentes-Narrow_Wide_Tipos

As coroas Narrow Wide tornaram-se muito populares nas modalidades XC, Enduro e All-Mountain, nas relações 1×10 e 1×11.

img-Componentes-Coroas_Narrow_Wide_Dentes

As coroas Narrow Wide possuem dentes largos e estreitos alternadamente, e eles são 25% mais altos que os normais, evitando o desengate acidental da corrente.

OVAIS
Coroas ovais não são novidade, elas apareceram na década de 90 e voltaram com força total. Mais tecnológicas que nunca, elas tem mais dentes na parte da pedalada conhecida como “chute”, aliviando nos momentos em que a pedivela está na vertical, conhecido como “ponto morto”. Há muita controvérsia com relação ao aproveitamento gerado pelas coroas ovais, mas estudos científicos provaram que elas funcionam de fato, tendo um ganho de até 25% em determinados casos.

img-Componentes-Coroas_Narrow_Wide_Oval

As coroas ovais estão conquistando seu espaço, tanto no MTB quanto nas Road Bikes, estudos científicos revelaram que existe realmente um ganho de desempenho.

PINO NA COROA GRANDE
Nas pedivelas duplas e triplas, um curioso pino instalado na coroa maior tem a função de impedir que a corrente caia entre o braço da pedivela e a coroa, fato que pode ocasionar o travamento da corrente. Outra função deste pino é indicar a correta posição de montagem da coroa na pedivela, pois fora de posição, os rebaixos dos dentes para facilitar as trocas de marchas não trabalhariam de forma adequada, ficando fora do perímetro da troca perfeita, entre o “chute e a compressão” da pedivela.

img-Componentes-Pino_de_Seguranca

Este curioso pino fica escondido atrás do braço da pedivela, impedindo que a corrente trave, caso caia para fora, mas além disso, ele serve para indicar a posição da coroa na pedivela.

img-Componentes-Coroas_Dentes

Para agilizar o engate da corrente durante a troca de marcha, as coroas tem dentes de diversas alturas.

GARRAS
Para executar uma troca de marcha rápida e perfeita subindo para coroas maiores, pequenas “garras” ou puxadores de corrente são instalados nas coroas para facilitar o serviço do câmbio dianteiro, pois elas literalmente “pescam” a corrente e a colocam na posição de engate das coroas. Pequenos rebaixos na lateral da coroa também ajudam a guiar a corrente até as garras.

img-Componentes-Coroas_Garras-Puxadores

As pequenas garras nas coroas são “pescadoras de corrente”, dispositivo que evita que a corrente fique patinando até encontrar os dentes.

img-Componentes-Coroas_Rebaixos

Rebaixos nas laterais das coroas permite que a corrente fique bem rente e seja capturada pelas garras.

RAMPAS
Ainda na área das trocas de marchas, mas agora para reduzir para coroas menores, foram criadas “rampas deslizantes” que jogam a corrente diretamente nos dentes da coroa do meio ou da pequena, tudo para aumentar a velocidade das mudanças, que nos grupos mais sofisticados, são feitas em frações de segundo.

img-Componentes-Coroas_Rampa

As rampas deslizantes ajudam a conduzir a corrente nas trocas de redução de marcha, permitindo engates rápidos e precisos.

TAMANHO DAS COROAS
O tamanho das coroas é medido em dentes, e as Road Bikes tem as maiores, com cerca de 50 dentes e até mais. Conhecidas como “speed” ou bicicletas de estrada, elas são leves, usam pneus finos e atingem altas velocidades graças ao grande número de dentes da coroa maior, mas nas MTB de hoje, as maiores coroas tem entre 40 e 46 dentes, pois são mais pesadas e utilizam pneus mais largos, necessitando de maior redução.

img-Componentes-Coroas_Road

As maiores coroas são encontradas nas Road Bike (Speed), de 50 a 53 dentes em média.

FUROS DE FIXAÇÃO
As coroas podem ter 4 furos para fixação, ou 5 como as mais antigas, não importa, o importante é saber o BCD (Bolt Circle Diameter), a exata distância entre os furos, informação muito importante, principalmente na hora da reposição, pois existem vários BCDs, imagine o mico de comprar uma coroa que não sirva na sua pedivela. Nesta matéria, você encontra a tabela de medidas dos BCDs e também a forma de medir corretamente: http://pedaleria.com/bcd/

img-Componentes-Coroas_BCD

A distância entre os furos das coroas é o BCD (Bolt Circle Diameter), principal informação na hora de comprar uma nova!

Então, como vocês viram, as coroas não tem nada de simples, elas possibilitam que o ciclista transfira todo sua força para a bicicleta, enfrentado todo tipo de terreno com força para pedalar.

Bom Pedal!

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Comentários (14)

  1. Paulo fernandes

    O jogo de coroas triplas que é apresentado no video é para 30v, qual marca e teria para venda ???

    Responder
    • Edu Capivara

      Oi Paulo, é da FSA, mas não temos a venda!
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
  2. Junior Freitas

    Boa Edu, acho que fiz a pergunta na sessão errada…vou repetir aqui, tem mais sentido:

    Bom dia Edu, parabéns pela matéria. Comprei agora uma Epic Elite Carbon WC 2015 que utiliza relação 1×11. A coroa do meu pedivela é de 32 dentes (com cassete de 10-42). Estava pensando em colocar uma coroa oval de 30 dentes, pois nossos pedais aqui em Cachoeiro de Itapemirim-ES têm muitos morros e acho que isto me facilitaria na hora de subir os mais inclinados (e longos)! Por outro lado, será que perderei muito em relação ao giro em velocidades maiores (32-10 para 30-10)? A coroa oval “compensaria” uma parte desta perda? Valeu…Abraços!

    Responder
    • Edu Capivara

      Oi Junior, tudo certo?
      A Claudia me passou sua pergunta, mas estava na minha lista de respostas aqui!
      Haverá perda de velocidade final sim! Meu caso foi oposto ao seu, eu andava com coroa redonda 30 dentes, coloquei a Oval 34, não achei pesado, e senti ganho mesmo nas trilhas técnicas fechadas, que gosto de fazer.
      O rendimento da oval pode ser sentido até na 30 dentes, mas renderá o que rendia sua 32 dentes.
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
  3. Alex Stavarengo

    Olá Capivara, tudo certo? Como fica a compatibilidade, no que tange ao esforço de pedalar, entre as coroas narrow wide Redondas e Ovais? Suponhamos que eu fosse comprar a Redonda 34T mas então tenha decidido pelo modelo Oval… compro a 32T, 34T ou 36T??? Abs!

    Responder
    • Edu Capivara

      Oi Alex, não pude testar todas pra te responder pontualmente, mas no meu caso, tirei a 30 redonda e coloquei a 34 oval. Esperava notar o aumento de peso, nas notei foi ganho de desempenho. É mais fácil manter a cadência com as ovais.
      Se quiser manter essa proporção, a oval pode ter 4 dentes a mais, no meu caso funcionou.
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
      • Alex Stavarengo

        Pois é o negócio me parece mais feeling do que matemática mas veja minha situação real: uso atualmente 38T Redonda e cassete SLX com Cog 16 + 42 enxertado. As trilhas por onde pedalo são bem íngremes, e apesar de gostar do pedal “pesado” da 38T (tô acostumado pois também ando de road bike) eu gostaria de ganhar um pouco mais de giro nas subidas para evitar pedalar em pé e perder a tração exatamente no ponto mais critico da subida. Aí que reside a dúvida… 36T Oval ou 34T Oval??? Ó dúvida cruel! :)

        Responder
        • Edu Capivara

          Oi Alex, como você já usa a 38 e pedala Road também, irá gostar da 36.
          Abraços;
          Edu Capivara

          Responder
  4. Alesson

    Olá gostaria de saber como identificar se minhas coroas estão gastas grato .

    Responder
    • Edu Capivara

      Oi Alesson, você pode fazer um teste simples, corrente engatada na coroa maior, puxe a corrente para frente (na direção da roda dianteira). O espaço que abre entre a corrente e a coroa NÃO deve permitir a passagem de um lápis.
      Se toda a relação é da mesma idade, um teste com a ferramenta de checar desgaste de corrente pode indicar que é hora de trocar tudo (corrente, coroas e cassette), pois é errado trocar apenas um dos componentes, há muita incompatibilidade entre peças novas e velhas.
      Olhando uma coroa nova e uma desgastada, dá pra notar a diferença de tamanho dos dentes, e também a curvatura dos rebaixos entre dentes, eles são bem maiores (ovalizado).
      A ferramenta de checar desgaste de corrente é essa: http://loja.pedaleria.com/medidor-de-desgaste-de-corrente-6460700
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
  5. Benedito Alves

    olá Edu, eu gostaria de saber se eu posso colocar uma coroa grande de 53 dentes no lugar de uma de 50 dentes, sem alterar o tamanho da corrente?

    Responder
    • Edu Capivara

      Oi Benedito, talvez dê, mas vai depender do tamanho atual da corrente quando engatada na marcha mais pesada. Isso pode causar certa limitação nas reduções, quando engatado na coroa grande, pois cada redução aumenta o tamanho do cog, utilizando segmentos maiores de corrente. Se a roldana inferior do câmbio começar a ficar virada par a frente, é melhor aumentar a corrente!
      Boa sorte!
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder
  6. maicon barbare guimaraes

    Boa Noite
    Preciso de uma ajuda
    Quero trocar minha coroa por uma Narrow wide porém meu pé de vela é um alívio m4000
    Não encontrei no Brasil nenhuma oval ,mas achei no eBay um modelo oval 32t 96mm é compatível com meu pé de vela ?
    No aguardo
    Grato desde de já

    Responder
    • Edu Capivara

      Oi Malcon, a Nottable fabrica essas coroas no Brasil, é a mesma marca que mostramos nos vídeos de coroa única. Entre em contato com eles pelo Facebook ou site pra checar a disponibilidade, já que eles falaram na ultima feira que estavam fabricando as ovais com BCDs 104, 96 e 94.
      Boa sorte!
      Abraços;
      Edu Capivara

      Responder

Deixe uma resposta